LANÇAMENTO EM PRÉ-VENDA PELA EDITORA CONSEQUÊNCIA!

FAVELA, RESISTÊNCIA E A LUTA PELA SOBERANIA ALIMENTAR, de Antonis Vradis, Christos Filippidis, Timo Bartholl e Minhocas Urbanas

Queridxs. O Coletivo Roça! foi parceiro local da pesquisa cujas experiências são refletidas neste livro.

Link de pré-venda: http://www.consequenciaeditora.net.br/p-11232876-FAVELA,RESISTENCIA-E-A-LUTA-PELA-SOBERANIA-ALIMENTAR.Antonis-Vradis,Christos-Filippidis,Timo-Bartholl,Minhocas-Urbanas.Postagem-a-partir-3-9-21

Site do projeto: https://soberania-alimentar-mare.home.blog/

Sobre o livro:
“O termo soberania alimentar foi cunhado pela Via Campesina, em oposição à segurança alimentar . Os códigos do liberalismo segurança alimentar, adequação nutricional, equilíbrio calórico não são termos para a cessação da fome, mas para a sua gestão permanente. É difícil analisar a condição permanente de 2 bilhões de pessoas em insegurança alimentar ou o aumento do número de pessoas desnutridas, mesmo antes da covid-19 e suas recessões, de qualquer outra forma. Ao invés de adiar a promessa do fim da fome como faz a segurança alimentar, a soberania alimentar refere-se às condições políticas necessárias para que todas as pessoas possam se alimentar com dignidade.

Uma forma de analisar a soberania alimentar é como o direito de ter direitos sobre o sistema alimentar . Para que quaisquer direitos sejam eficazes, eles precisam de um Estado disposto a aplicá-los. Na Maré, direitos são uma promessa adiada. Favelas são lugares para os quais o Estado prometeu desenvolvimento, mas não concretizou ainda. Elas são, para reposicionar a frase de Dipesh Chakrabarty, uma sala de espera da História. Seria um erro, no entanto, presumir que só porque o Estado pede paciência às suas cidadãs e seus cidadãos, ela seja oferecida de bom grado. A fim de impor essa paciência, o Estado implantou um conjunto de violência, do qual a insegurança alimentar faz parte. Como podem cidadãs e cidadãos terem o direito de ter direitos quando o Estado é o inimigo.”

É com essa provocação que Raj Patel, acadêmico, jornalista, militante e escritor britânico-indiano que visitou o território em meio ao qual nascem as reflexões deste livro para a Semana da Soberania Alimentar na Maré 2018, apresenta esse livro de autoria coletiva dos pesquisadores Antonis Vradis, Christos Fillippidis, Timo Bartholl e do grupo de pesquisa comunitária Minhocas Urbanas. E são questões como essa que o livro Favela, resistência e a luta pela soberania alimentar propõe-se a discutir, com base em um processo de pesquisa-ação, realizado entre os anos de 2017 e 2019 nas e a partir das favelas da Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s